FENPROF – os crucifixos fora da escola pública


fenprof-1-a.jpg

fenprof-congresso-2007.jpg

PROFESSORES APROVAM RETIRADA DE S?MBOLOS RELIGIOSOS DA ESCOLA PÚBLICA

O 9º Congresso da FENPROF (Lisboa, 19, 20 e 21 de Abrl) aprovou um Plano de Acção onde se inclui um ponto sobre a questão dos símbolos religiosos na Escola Pública com a seguinte redacção: (…) “Compete à administração zelar pelo cumprimento dos preceitos constitucionais e legais que regulam esta matéria [desigualdades que orien­tam a nossa sociedade, em dimensões como a raça, etnia, género, classe social, sexua­lidade, capacidades, crenças religiosas]. Por exemplo, quando o artigo 43º, ponto 3, da Constituição da República Portuguesa determina que ‘O ensino  público não será confessional’ é inadmissível que escolas da rede pública persistam em ostentar símbolos religiosos nas suas instalações. Exige-se pois que a lei, também nesta matéria, não seja palavra vã.” (…)

A propósito, relembra-se aqui o repertório Laicidade e Escola Pública entregue ao Ministério da Educação, em Março de 2005, pela associação cívica República e Laicidade.

acesso a: Laicidade e Escola Pública | doc/R&L

One Comment

  • Ivo Moreira wrote:

    Sem dúvida que qualquer símbolo religioso num pais em cujo estado se afirma laico, vai influenciar, nem que seja inconscientemente, um aluno que a nível intelectual se encontra em formação.
    Tenho 31 anos e sou católico apostólico romano praticante e assíduo frequentador da Igreja do Cristo Rei em Algés, filho de um Pai ateu e de uma mãe católica não praticante e só tenho de agradecer-lhes por nada terem feito para me influenciar na minha escolha religiosa, ao que me levou a ter a total liberdade de pensamento teológico.
    Não vamos confundir religião com estudo académico.
    Portugal agradece e a liberdade de pensamento tambem.
    Obrigado

Deixar uma Resposta