«25 de Abril» reprimido a… 25 de Abril !!! (2)

FALTA UMA EXPLICAÇÃO:

MANIFESTANTES ANTIFASCISTAS VIOLENTAMENTE REPRIMIDOS A 25 DE ABRIL!

1 – OS FACTOS EM SEQUÊNCIA (tal como os conseguimos apurar):

1.1 – Em Lisboa, no âmbito das comemorações do 25 de Abril e no seguimento da «grande manifestação» que, como é costume, desceu a Avenida da Liberdade, foi prevista (sem prévia oficialização junto do Governo Civil) a organização e o desfile, entre a Praça da Figueira e o Largo do Camões, de uma «manifestação anti-autoritária» contra o Fascismo e o Capitalismo; uma demonstração que pudesse constituir um veemente protesto contra as expressões públicas (xenófobas e não só), quer do partido PNR, quer de agrupamentos neo-nazis/fascistas que lhe estão próximos.


manif-cartaz-01-a.jpg


 

 

cartaz de convocação da manifestação

 

Praça da Figueira: início da manifestação

manif-baixa-01-a.jpg

manif-baixa-02-a.jpg

Largo do Camões: termo da manifestação

manif-camoes-02-a.jpg

manif-camoes-03-a.jpg

1.2 – Desfeita a manifestação, quando uma parte das pessoas que nela se tinham integrado, depois de percorrerem a Rua Garrett, desciam informalmente a Rua do Carmo, em direcção ao Rossio, depararam com forte aparato policial a barrar a saída inferior daquela via

25-abril-2007-robotcops-01-a.jpg

1.3 – Quando se aperceberam da situação de impasse, os manifestantes ainda tentaram retroceder e subir de novo a rua; contudo, estavam encurralados por um segundo corpo policial que, entretanto, se tinha posicionado no cimo da calçada do Carmo.

1.4 – Sem que tivesse sido tentada qualquer diligência tendente a resolver a situação de modo ordeiro e pacífico, sem que tivesse sido feito qualquer tipo de aviso prévio, os manifestantes antifascistas bem como os transeúntes que, àquela hora, estavam no local foram então objecto de uma brutal carga dos agentes da polícia anti-motim.


25-abril-2007-robotcops-14.jpg


25-abril-2007-robotcops-07-a.jpg


25-abril-2007-robotcops-16-a.jpg


25-abril-2007-robotcops-15-a.jpg

acesso a relatos e imagens:

1.5 – As descrições e explicações fornecidas pela polícia relativamente a estes acontecimentos referem um conjunto de distúrbios «pichagem» de paredes e de montras, quebra de uma vitrina, lançamento de «verylights»… provocados pelos manifestantes, bem como uma sua suposta e antecipadamente conhecida (!?) intenção de assalto à sede do PNR (na Rua da Prata) como sendo os justificativos da «intervenção policial preventiva». Referem também uma posterior apreensão de bastões de madeira e metal, bem como de «cocktails molotov».

1.6 – Os relatos «civis» entretanto vindos a público, quer na imprensa, quer em muitos espaços da «blogosfera», sem ocultarem os «excessos» cometidos pelos manifestantes (pintura da parede, etc.), sem escamotearem a intenção de se manifestarem em frente à sede do PNR, deixam contudo à responsabilidade das forças policiais o lançamento dos «verylights», a quebra da vitrina e, sobretudo, a violência brutal de uma intervenção que terá sido pautada pelo «mote» (gritado no início da pancadaria pelo comandante da força policial) “é o que vocês merecem, «comunas» de merda; merecem é levar nos cornos…!!!”. Acresce ainda que vários testemunhos referem a existência de «agentes (policiais) infiltrados» que, a dado momento, se terão virado contra os manifestantes – e sugerem a organização premeditada de uma «operação punitiva» (compensação pela recente repressão aos neo-nazis/fascistas?)…

25-abril-2007-paisanos-par-01a.jpg

dois dos (supostos) «agentes (policiais) infiltrados»

2 – ALGUMAS QUESTÕES QUE SE IMPÕE LEVANTAR

Do confronto do discurso «policial/oficial» com os relatos «civis» ressaltam várias incongruências ainda não cabalmente esclarecidas, algumas questões ainda não suficientemente respondidas e, designadamente, as seguintes:

  • porquê a carga da polícia sem aviso prévio? quem a ordenou? estava antecipadamente prevista? por quem? com que objectivo?
  • porque não se tentou obviar aos comportamentos eventualmente excessivos dos manifestantes de modo ordeiro, pacífico e pacificador?
  • quem afinal disparou os «verylights», os manifestantes ou a polícia? que manifestantes? que agentes da polícia?
  • a quem se deveu, afinal, a quebra da montra? aos manifestantes? à carga policial?
  • terá sido mesmo gritada a frase “é o que vocês merecem…!!!”? quem a gritou? em que qualidade?
  • os supostos «bastões» de madeira e metal seriam isso mesmo ou não passariam, afinal, de meros «paus de bandeira»?
  • haveria mesmo «cocktails molotovs» nas mãos dos manifestantes? quem os detinha?
  • haveria mesmo «agentes infiltrados» entre os manifestantes? eram efectivamente da polícia? eram meros provocadores? a que título se infiltraram entre os manifestantes? com que objectivos? que papel tiveram em todo o desenrolar da «operação»?

3 – O QUE SE ESPERA

Como é óbvio, para responder cabalmente a todas as dúvidas e questões que podem ser suscitadas pelos acontecimentos que mancharam as comemorações de 25 de Abril passado não são suficientes, nem as explicações públicas que a PSP divulgou pelos meios de comunicação social, nem as declarações que a Plataforma Antiautoritária contra o Fascismo e o Capitalismo também distribuíu.

acesso a:

Esperamos, assim, que este assunto seja devidamente assumido pelo Ministério Público (Procuradoria Geral da República) e que, depois de devidamente investigado e informado, seja formalmente julgado e venha a ser objecto de veredicto de um juiz, com as adequadas condenações disciplinares e/ou penais a todos os prevaricadores.

acesso a: Decreto-Lei nº 406/74 [Direito de Reunião e Manifestação]

62 Comments

  • Camilo Torres wrote:

    Quando…

    O Que Faz Falta

    Letra e música: José Afonso
    Intérprete: José Afonso* (in “Coro dos Tribunais”, Orfeu, 1974; reed. Movieplay, 1987)

    Quando a corja topa da janela

    O que faz falta

    Quando o pão que comes sabe a merda

    O que faz falta

    O que faz falta é avisar a malta

    O que faz falta

    O que faz falta é avisar a malta

    O que faz falta

    Quando nunca a noite foi dormida

    O que faz falta

    Quando a raiva nunca foi vencida

    O que faz falta

    O que faz falta é animar a malta

    O que faz falta

    O que faz falta é acordar a malta

    O que faz falta

    Quando nunca a infância teve infância

    O que faz falta

    Quando sabes que vai haver dança

    O que faz falta

    O que faz falta é animar a malta

    O que faz falta

    O que faz falta é empurrar a malta

    O que faz falta

    Quando um cão te morde a canela

    O que faz falta

    Quando a esquina há sempre uma cabeça

    O que faz falta

    O que faz falta é animar a malta

    O que faz falta

    O que faz falta é empurrar a malta

    O que faz falta

    Quando um homem dorme na valeta

    O que faz falta

    Quando dizem que isto é tudo treta

    O que faz falta

    O que faz falta é agitar a malta

    O que faz falta

    O que faz falta é libertar a malta

    O que faz falta

    Se o patrão não vai com duas loas

    O que faz falta

    Se o fascista conspira na sombra

    O que faz falta

    O que faz falta é avisar a malta

    O que faz falta

    O que faz falta é dar poder a malta

    O que faz falta

    CT

  • Pedro Manuel wrote:

    Para comentar alguns “factos” que muitos usam como justificação (que mesmo sendo verdade não seria justificação para o comportamento selvagem da policia) para a carga policial.
    1. Muitos dos manifestantes tinham a cara tapada: Pois, é por medo natural de represálias e de violência por parte da extrema-direita (aqueles que muitos agora elogiam por se “portarem bem” em manifs (apesar de com simbologia ilegal), é que foram delas….). E é direito por motivos, que cada um saberá, não quererem ser identificados numa manif, essa velha “quem não deve não teme? é uma charlatanice que só funciona nem no “pais das maravilhas? funciona.
    2. 3 Cocktails Molotovs: Já alguém os viu?? MENTIRA, não havia nada mas mesmo nada do género… e se a policia apanhou os tais cocktails respondam, porque que é que eles apenas fazem parte do circo da comunicação social e não aparecem em parte alguma das acusações feitas aos detidos? respondo facilmente entretanto.. porque eles são apenas mencionados para a comunicação social para “ajudar” as pessoas a criticar os manifestantes. Onde andam os cocktails? onde? LADO ALGUM.
    3. Bastantes paus e ferros: eram os suportes das bandeiras apenas e só, ninguém tinha ali apenas os paus e ferros, eram TODOS suportes… na manif da Av. de liberdade então ‘tava tudo armado… se nesta manif eram mais rústicos é porque os manifestantes fizeram as bandeiras eles mesmo sem apoio de nenhuma força politica.
    4. Simbologia anarcolibertaria: sim… é proibida?! Nem deveria ter sido apreendida porque não é ilegal.. só foi apreendida porque…. ah.. ‘tavam nos “ferros e paus?… então em que ficamos??
    5. Agressões a transeuntes durante a manif: Mais uma coisa que ninguém viu, ninguém sabe.. e já que a policia diz que a viu por não a impediu? porque não houve nada para impedir.. não houve qualquer agressão às pessoas.. o mesmo já não se pode dizer de transeuntes “azarados” na Rua do Carmo que “comeram” tal como os manifestantes.
    6. Agressões partiram dos manifestantes: O grupo quando encurralado juntou-se todo ao meio.. e a policia simplesmente começou a correr de bastão em riste… se a primeira agressão foi dos manifestantes, só se foi alguma cabeçada num bastão…
    7. Montras partidas e caixotes virados: Mais uma coisa que ninguém viu.. ONDE ESTÃO ESSAS MONTRAS PARTIDAS AFINAL?!?!?!
    8. Ordem de dispersão: Não houve nenhuma… se calhar não se ouviu por causa do barulho dos bastões nas cabeças das pessoas… é a única hipótese que agora ‘tou a ver…
    ouvi coisas como “filhos da puta? “vamos vos foder todos? “carreguem nesses cabrões?…

    Eu fui manifestar-me pacificamente e se calhar os slogans da manif não são habituais por cá por serem actuais e directos, mas muitas das pessoas por quem se passou aplaudiam e algumas mesmo se juntaram à manifestação, de todas as idades, sexos e raças..
    Isto talvez fez com que a policia tivesse todo este trabalho nos meios de comunicação e com a carga que fizeram.. é que a manif correu bem e foi bem recebida e isto não lhes agradou.. sorrisos só foram vistos durante o espancamento..

  • tino wrote:

    grandes betinhos que há por aqui,e depois não querem levar nas orelhas,ah ,ah ,ah.

  • Tigre Branco wrote:

    Coitadinhos deles,são uns santinhos,no 10 de junho de 2005,no largo de camões,esses meninos andavam com pedras e paus,pora atirar aos nacionalistas.portan-to,não vale a pena andarem a atirar areia para os olhos dos outros.

  • Tigre Branco wrote:

    vocês têem é medo,porque sabem que mais tarde ou mais cedo,vocês de esquerda,vão ser desmascarados.

  • Tigre Branco wrote:

    esses tipos são tão fracos,que nem têem categoria para ser extremistas,metem dó…. coitados.

  • Pedro Manuel wrote:

    Pois.. talvez mesmo por não sermos extremistas.. nem de esquerda.. essa incultura politica básica é normal não te preocupes.. andavamos a atirar paus e pedras aos nazis dia 10 de Junho de 2005? Eu pelo menos não e acho que ninguém que tava na manif… mas quem o fez tem o total apoio nosso…

  • João Pedro wrote:

    O senhor Ivo Moreira não podia ter mais razão.
    Este site é de uma grande importancia para quem defenda os ideais da liberdade, civismo e paz. os outros que não sabem debater a importancia destes valores deviam de ESTAR A CRIAR OUTRO SITE COM AS SUAS OPINIÕES DE …… Obrigado.

  • David Cameira wrote:

    ” Camilo Torres | 30-Abr-07 at 5:48 pm | Permalink

    Quando…

    O Que Faz Falta ”

    eSTA TIREI E FUIPSTAR N MEU BLOG

    jULGO Q NAO SE IMPORTA MAS SE , POR QQ RAZÃO, TIER ALGO A OBTAR DIGA QQ COISA

  • David Cameira wrote:

    Ops, ( As maiusculas do meu comentario de cima nao sao intencionais )

    Fora esta explicação , q julgo essencial para q sejam tomadas em conta as maiusculas de outros comentarios meus em q aparecem intencinalmente prossigo

    Julgo q estar-se a fazer ds manifestantes anacas uns santinhos é…pq eles até sa ateuscomo dem ser santos, …lol
    Depis há, ou houve duramte muitos ans , uns hipies, anacas e vadis marginais , com alguns cães, q estavam al ao pé do rossio por trás do ” Abracababra ” e de onde foi antigamente a ” Megastore Valentim de Carvalho ” aquilo babavam-se , cuspam-se , beijavam-se , embriagavam-se , ” charavam-se, cmiam a meias com os caes..aqui ate metia medo ao susto

    So o cheiro q eles e elas tinham dava para afstar s transeuntes eha noticias q ate copulavam ao vivo e a cres ..

    Enfim , arece q ate crreram com eles, depois ja la vltaram alguns mas estao semre tempoariamente e nunca residentes como antigamente

    Por fim, de fato as manfs de estremos dao sempre para o torto, eu ja i qd foi da manif de nazis q ouve no Martin Moniz, algun s grupos de Africanos a 2 fazerem acequimento ” ara andarem a´trlha com os skins..

    Agora os skins tb se expressam de frma viilenta pelo q são grupos que, embora nos antidas, estao bem uns araos outros

    URGE DEFENDER A DEMOCRACIA REPUBLICANA e detas manisfestaçoes estremistas

    Urge dar força á autoridade demo0cratica e urge repensar as plavras q dzemos pq se há nacionalistas nas po,lias, se calhar tb ha comunistas , não sei pq nao e requsito para la entrar ser a favor o cntra comunismo ou o q quer q seja a niel plitco

    Cartazes com injurias devem SEMPRE ser apresendidos assim como o sao as publicacoes neo-nazis

    Por ultimo, quixem-se e da lei portuguesa pq nao e crime ( o simples fact de ) estar com uma suastica na mão, ou a cruz céltica – ou a bandeira dos confederados, q perderam a gurra da secessão ns EUA.

    Na Alemanha e´um crime ter estas roupas e adreços e nos EUA é um crime fedral da responsabilidade direta do FBI…
    Eu proprio já estive numa loja dos trezentos ( entre Arroios e os Anjos – q entretanto ja fechou )E VI A VENDER PUNHAS COM A SUASTICA E MATRACAS…normalmenente quem usa isto sao os gangs

  • alex wrote:

    esta é a organização daqueles que sonham todos os dias com a maçonaria, mas que nunca usarao avental por serem demasiado mesquinhos, não é?

    saudações fraternas

  • [...] Afinal… parece que sempre houve alguma «coisa» nos acontecimentos ocorridos na Rua do Carmo a 25 de Abril… e, assim sendo, da IGAI (Inspecção-Geral da Administração Interna) o «caso» segue agora para uma fase de inquérito mais alargado… [...]

Deixar uma Resposta