Vital Moreira, lúcido, faz análise no jornal «Público» [13/02/07]

publico-2007-05-b.jpg

VITAL MOREIRA ANALISA RESULTADOS DO REFERENDO

Em artigo de opinião, Vital Moreira analisa, hoje, no jornal «Público» os resultados do referendo sobre a despenalização da interrupção voluntária da gravidez. De entre muitas outras asserções do seu texto, sobressai esta:

“Decididamente, ela [a Igreja Católica] deixou de comandar a consciência moral dos portugueses e as opções políticas do Estado. A separação entre o Estado e a religião deu um decisivo passo em frente. O Código de Direito Canónico deixou de ser lei constitucional entre nós.”

acesso a artigo: arquivo/R&L (pdf)

Claramente e felizmente , o mito rural que teima em sustentar um olhar, uma afirmação e uma utilização de Portugal como um «país católico» está-se rapidamente a desmoronar.

3 Comments

  • Notei uma clara alusão ao factor religioso relacionado com o referendo em toda a imprenssa estrangeira. Em Portugal esse facto anda muito camuflado.

  • O britânico Guardian proferiu: “Portugal votou ontem por varrer séculos de domínio moral da igreja católica romana num referendo que permite ao governo reformar uma das mais restritivas leis de aborto da Europa”, afirma, num artigo assinado pelo jornalista Giles Tremlett.

    O diário francês Le Figaro observa que a igreja católica se empenhou fortemente no campo do ‘não’, e que certos dos seus membros “ameaçaram de excomunhão os eleitores que votassem ‘sim’, outros advertiram contra a ‘maldição’ que não deixaria de se abater sobre Portugal se se juntasse à ‘apostasia silenciosa’ do resto da Europa e à sua ‘cultura de morte’.”

    Entre muitos outros exemplos…

  • Necessário, com poucas dúvidas, seria o aparecimento de uma legislação que “induzisse” um aumento da natalidade em Portugal – onde a taxa de natalidade nem sequer chega a compensar o índice da normal mortalidade das populações residentes.

Deixar uma Resposta