MANIFESTO/PROGRAMA

1910-2010 CENTENÁRIO DA REPÚBLICA PORTUGUESA

 

alegoria-5-outubro-01.jpg

 

UM MANIFESTO/PROGRAMA…

Em Março de 2004, no seguimento de contactos (informais) preliminares, a Associação Cívica República e Laicidade, de parceria com a Comissão Permanente dos Centros  Republicanos, fez chegar à Presidência da República Portuguesa um pedido de audiência que tinha por objectivo apresentar detalhar, esclarecer e justificar ao (então) Presidente Jorge Sampaio uma proposta de programa comemorativo do primeiro centenário do estabelecimento da República em Portugal de feição marcadamente descentralizada e popular.

Essa proposta estava sintetizada no documento manifesto/programa PARA COMEMORAR O CENTENÁRIO DO ESTABELECIMENTO DA REPÚBLICA EM PORTUGAL [doc/R&L (pdf)] que então se fez chegar à Presidência da República e ora aqui se torna público.

Por razões que, de todo, desconhecemos, aquele pedido de audiência nunca veio a merecer qualquer resposta da Presidência da República e, desse modo, o encontro de trabalho por nós proposto nunca veio a ter lugar.

Em Outubro de 2004, no almoço comemorativo do 94º centenário da República Portuguesa que teve lugar no Centro Escolar Republicano Almirante Reis, a necessidade de preparar as comemorações do centenário da República Portuguesa constituiu o tema central do discurso que Luis Mateus aí fez, em nome da Associação República e Laicidade.

Em Outubro de 2005, o Governo da República entendeu por bem nomear uma Comissão de Projectos para a Celebração do 1º Centenário da República Portuguesa presidida por Vital Moreira e integrada também por Romero de Magalhães, David Ferreira, Francisco José Viegas, Inês Pedrosa e Madalena Torresque deveria estudar a questão das comemorações do centenário e apresentar sugestões que pudessem vir a integrar um programa a implementar com aquele objectivo.

acesso a: notícia original / doc/R&L (pdf)

Tomámos, então, a iniciativa de fazer chegar a essa Comissão uma cópia do documento anteriormente entregue na Presidência da República. Do caminho que aí terá levado nada nos foi oficialmente comunicado; contudo, informalmente, tivemos notícia de que a referida Comissão o teria tido em (boa) consideração no seu trabalho e que até teria integrado as suas propostas no relatório final que apresentou ao Governo…

Entretanto, o tempo vai passando… assim mesmo, no gerúndio, que é o tempo verbal das acções que não têm um tempo preciso, que se prolongam indefinidamente, sem termo certo…! … e quanto mais tempo decorre, quanto mais nos vemos próximos da data do primeiro centenário republicano, mais nos convencemos de que, ou tomamos nas nossas mãos, autonomamente, decididamente, as comemorações populares da nossa República Portuguesa, ou havemos de nos limitar a assistir, nas poltronas das nossas salas ou nos passeios das nossas avenidas, às imponentes e lustrosas cerimónias oficiais: coloridas e sonoras paradas militares, eloquentes discursos parlamentares e governamentais, luminosas encenações alusivas à data, fogos de artifício (de muitos artifícios), etc., etc., etc…, tudo bem (muito bem) patrocinado e acoolitado e, consequentemente, tudo bem (muito bem) coberto pela Comunicação Social e, designadamente, pelas estações de televisão…

Contudo, a REPÚBLICA RES PUBLICA deveria ser isso mesmo: a COISA PÚBLICA, a COISA DE TODOS !!!

bandeira-portugal-01.gif

acesso a: manifesto/programa PARA COMEMORAR O CENTENÁRIO DO ESTABELECIMENTO DA REPÚBLICA EM PORTUGAL (pdf)